Sintomas

Sintomas

A Rinossinusite Crônica com Pólipo Nasal (RSCcPN) tem sintomas bastante específicos que a diferenciam da Rinossinusite Crônica. A RSCcPN está presente em 1,1% a 4,3% da população global, sendo 4,2% dos pacientes dos EUA, 2,7% a 4% na Europa Ocidental e 1,1% na China1.

Sintomas

A grande diferença está na presença dos pólipos. Os maiores ou um conjunto deles agrupados podem causar sintomas incômodos. Os principais deles, e que determinam a doença, são a obstrução e a congestão nasal – muitas vezes nas duas narinas – e coriza persistente com sensação de engolir mucosa constantemente3-4.

Pacientes com Rinossinusite Crônica com Pólipo Nasal podem sentir ainda a diminuição ou a perda total do olfato e, portanto, alteração no paladar. Além disso, pessoas acometidas pela doença podem chegar a sentir dores no seio da face e tosse, apesar desses sintomas serem mais comuns nos pacientes com Rinossinusite Crônica sem a polipose nasal3,5.

A RSCcPN coexiste com outras doenças causadas por Inflamação Tipo 2, que está presente em 80% dos pacientes6-9. Outra condição que pode coexistir com a RSCcPN é a Asma. Cerca de 26% dos pacientes possuem esta comorbidade10.

É muito importante ir ao médico, levar todas as informações sobre seus sintomas. Mesmo os que pareçam não ter relação direta com a RSCcPN podem servir de apoio para uma correta avaliação da doença. As informações podem ajudar o médico a prescrever medicamentos adequados para uma jornada de tratamento plena.

Esteja atento aos sinais do seu corpo e procure o seu médico, ele poderá indicar o melhor tratamento.

Referências

  1. Blackwell DL et al. Summary health statistics for U.S. adults: national health interview survey, 2012. Vital Health Stat 10. 2014 Feb;(260):1-161.
  2. Hastan D, et al. Chronic rhinosinusitis in Europe–an underestimated disease. A GA²LEN study. Allergy. 2011 Sep;66(9):1216-23.
  3. Fokkens WJ, et al. European position paper on rhinosinusitis and nasal polyps 2020. Rhinology. 2020;58(Suppl S29):1‐464.
  4. Schleimer RP. Immunopathogenesis of chronic rhinosinusitis and nasal polyposis. Annu Rev Pathol. 2017;12:331-357.
  5. Stevens WW, et al. Chronic rhinosinusitis with nasal polyps. J Allergy Clin Immunol Pract. 2016;4(4):565‐572.
  6. Kato A, et al. J Allergy Clin Immunol. 2016;137(suppl 2):AB285.
  7. Kim DW, Cho SH. Emerging Endotypes of Chronic Rhinosinusitis and Its Application to Precision Medicine. Allergy Asthma Immunol Res. 2017 Jul;9(4):299-306.
  8. Bachert C, Pawankar R, Zhang L, et al. ICON: chronic rhinosinusitis. World Allergy Organ J. 2014;7(1):25. Published 2014 Oct 27.
  9. Chaaban MR, Walsh EM, Woodworth BA. Epidemiology and differential diagnosis of nasal polyps. Am J Rhinol Allergy. 2013 Nov-Dec;27(6):473-8.
  10. Diretrizes Brasileiras de Rinossinusites. Revista Brasileira de Otorrinolaringologia [online]. 2008, v. 74, n. 2 suppl [Acessado 30 Julho 2021] , pp. 6-59. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S0034-72992008000700002>

MAT-BR-2101250 – JULHO/2021