Asma Grave

CONTROLE DE SINTOMAS DA ASMA: UMA META POSSÍVEL


ASMA GRAVE11

Aproximadamente 3% a 10% das pessoas com asma, têm asma grave.1

A asma grave é uma doença inflamatória crônica que acomete as vias aéreas inferiores (pulmões) que tem, muitas vezes, origem em um desequilíbrio do sistema imunológico.

Asma grave é definida pelo GINA (diretriz global para o tratamento da asma) como uma asma que não está controlada (ou seja, que apresenta sintomas e crises) apesar do paciente estar fazendo o uso corretamente do tratamento otimizado; com altas doses de corticoide inalatório mais uma segunda medicação de controle.1

PERSPECTIVA DO PACIENTE

Os pacientes com asma grave sentem o fardo de conviver com os sintomas, exacerbações (crises) e efeitos adversos das medicações. Frequentemente falta de ar, chiado, aperto no peito e tosse interferem nas atividades do dia a dia, no sono, na atividade física; e os pacientes geralmente têm exacerbações imprevisíveis e que os deixam com medo.

Asma grave frequentemente interfere com a vida em família, com a vida social e com o trabalho, limita as opções de carreira, opções de viagem e afeta a saúde mental e emocional.

Pacientes com asma grave muitas vezes se sentem sozinhos e incompreendidos, porque o que eles vivem é diferente do que a maioria das pessoas com asma.

A boa notícia é que existem tratamentos disponíveis para todos os graus da asma, inclusive asma grave.

Ultimamente a medicina vem entendendo a asma como uma doença heterogênea, composta por diversos fenótipos.

Sabe-se hoje que 50 a 70% dos pacientes com asma têm inflamação tipo 2 e seus fenótipos mais comuns são asma alérgica, eosinofílica e asma mista (eosinofílica-alérgica) dentre esses, o fenótipo asma mista é o mais comum.23-27

  • 1. Global Initiative for Asthma. Global Strategy for Asthma Management and Prevention, 2019. Disponível em: https://ginasthma.org/gina-reports/ [Acesso em 04/11/2019]
  • 2. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para o Manejo da Asma – 2012 . Jornal Brasileiro de Pneumologia. v.38, Suplemento 1, p.S1-S46 Abril 2012.
  • 3. World Health Organization (WHO). Chronic Respiratory Diseases: Asthma. Disponível em https://www.who.int/respiratory/asthma/en/. [Acesso em 04/11/2019]
  • 4. Strachan, D., Pearce, N., Garcia-Marcos, L., Asher, I. International Study of Asthma and Allergies in Childhood, 1992-2005. [data collection]. UK Data Service, 2017 [Accessed 5 November 2019]. Available from: http://doi.org/10.5255/UKDA-SN-8131-1.
  • 5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Projeções e estimativa da população do Brasil e das Unidades da Federação. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/index.html [Acesso em 4 de novembro de 2019]
  • 6. Cardoso, TA; Roncada, C; Silva, ER; Pinto, LA; Jones, MH; Stein, RT; Pitrez, PM. Impacto da asma no Brasil: análise longitudinal de dados extraídos de um banco de dados governamental brasileiro. J Bras Pneumol. 2017; 43(3): 163-168.
  • 7. Solé, D; Camelo-Nunes, IC; Wandalsen, GF; Mallozi, MC. Asthma in children and adolescents in Brazil: contribution of the International Study of Asthma and Allergies in Childhood (ISAAC). Rev Paulista de Pediatria. Vol 32, nº 1. São Paulo, Mar 2014.
  • 8. Ministério da Saúde. [homepage na internet]. Asma: o que é, causas, sintomas, tratamento, diagnóstico e prevenção. Disponível em: http://saude.gov.br/saude-de-a-z/asma. [Acesso em 04/11/2019]
  • 9. Minha Vida [homepage na internet]. Asma: sintomas, tratamentos, causas. Disponível em: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/asma. [Acesso em 05/11/2019]
  • 10. Asthma.uk [homepage na internet] Types of asthma. Disponível em: https://www.asthma.org.uk/advice/understanding-asthma/types/ [Acesso em 04/11/2019].
  • 11. Bush, A; Zar, HJ. WHO Universal definition of severe asthma. Current Opinion in Allergy and Clinical Immunology 2011, 11:115–121
  • 12. Kaliner M, Lemanske R. Rhinitis and Asthma. JAMA. 1992;268(20):2807–2829.
  • 13. Martinez, FD. Genes, environments, development and asthma: a reappraisal. European Respiratory Journal. 2007; 29 (1): 179–84.
  • 14. NIH – National Heart, Lung and Blood Institute (U.S. Department of Health & Human Services) [homepage na internet]. Asthma Guidelines. Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/health-pro/resources/lung/naci/asthma-info/asthma-guidelines.htm. [Acesso em 06/11/2019]
  • 15. Drauzio. [homepage na internet] Asma (Artigo). Disponível em: https://drauziovarella.uol.com.br/drauzio/artigos/asma-artigo/. [Acesso em 06/11/2019]
  • 16. Telles Filho, PA. Asma Brônquica. Tratamento da Asma. 2019. Disponível em: http://www.asmabronquica.com.br/medical/tratamento_asma_introducao.html
  • 17. SBPT (Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia) [homepage na internet]. Disponível em: https://sbpt.org.br/portal/publico-geral/asma-informacoes-sbpt/ [Acesso em 07/11/2019].
  • 18. Miller, RL; Ho, SM. Environmental epigenetics and asthma. Am J Respir Crit Care Med Vol 177. pp 567–573, 2008.
  • 19. ASBAI [homepage na internet]. Departamento Científico de Asma da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. O que é asma grave e quando o paciente deve ser encaminhado aos centros de referência? Publicado em 4/12/2017. Disponível em: http://asbai.org.br/o-que-e-asma-grave-e-quando-o-paciente-deve-ser-encaminhado-aos-centros-de-referencia/ [Acesso em 08/11/2019]
  • 20. Silva, ECF; Serpa, FS; Emerson, MFE. Viver bem com asma: perguntas e respostas. EMESCAM. Vitória, ES, 2017.
  • 21. American Lung Association [homepage na internet]. Living with Asthma. Disponível em: https://www.lung.org/lung-health-and-diseases/lung-disease-lookup/asthma/living-with-asthma/ [Acesso em 11/11/2019]
  • 22. Dupixent.com (homepage na internet]. About Dupixent. Disponível em: https://www.dupixent.com/asthma/about-dupixent [Acesso em 11/11/2019].
  • 23. Mauad T, Bel EH, Sterk PJ. Asthma therapy and airway remodeling. J Allergy Clin Immunol. 2007;120(5):997-1009.