SEMANA DO SONO

Semana do sono

Sonhos bons nutrem a vida

A necessidade de sono varia de pessoa para pessoa:

Todos já ouvimos em algum lugar que “é necessário dormir 8 horas por noite”. Entretanto, existem variações individuais na quantidade de sono necessária. Alguns indivíduos sentem-se muito bem com 6 horas de sono por noite, já outros necessitam de 10 horas. O importante é que cada um conheça seu organismo e respeite as suas necessidades e limites.

Além disso, você sabia que a necessidade de sono varia ao longo da vida?

Bebês recém-nascidos costumam dormir entre 14 e 17 horas. Com o passar dos meses, o sono se concentra no período noturno e a sua duração diminui.

Na adolescência, ocorre um aumento da sonolência diurna e preferência por dormir e acordar mais tarde (vespertinidade).

Quando somos adultos precisamos em média de 8 horas de sono por dia para nos manter bem e saudáveis.

Alguns idosos apresentam diminuição no tempo total de sono, preferência por dormir e acordar mais cedo e necessidade de cochilos durante o dia.

O que é cronotipo?

Cada pessoa prefere realizar suas atividades em um determinado horário. Por exemplo, alguém pode preferir fazer ginástica de manhã enquanto outros preferem à tarde. Por isso, dizemos que cada um tem um cronotipo, o qual é determinado geneticamente.

De acordo com o cronotipo, as pessoas podem ser classificadas em:

Matutinos: são aqueles que preferem dormir e acordar cedo;

Vespertinos: são aqueles que se adaptam melhor ao dormir e acordar mais tarde;

Intermediários: não possuem preferência por horários extremos.

Quais são as consequências da falta de sono?

Cada vez mais, a população tem alterado seus hábitos de vida. A correria do dia a dia, as extensas jornadas de trabalho e o crescente uso de aparelhos eletrônicos impactaram diretamente a quantidade e/ou qualidade de sono. A redução do tempo de sono prejudica o funcionamento de diversos sistemas fisiológicos no organismo, aumentando o risco de doenças e/ou acidentes.

Consequências da privação de sono para a saúde

CONHECENDO AS DOENÇAS MAIS FREQUENTES RELACIONADAS AO SONO…

Apneia Obstrutiva do Sono

Você sabia que a apneia do sono é uma alteração da respiração durante o sono que pode trazer graves problemas à saúde? Isso normalmente acontece pelo relaxamento aumentado dos músculos da garganta. Alguns sinais podem indicar que a pessoa tem apneia do sono: ronco, cansaço e sonolência durante o dia, dificuldade de concentração e muitos outros.

Além disso, a apneia do sono aumenta o risco de doenças cardiovasculares e metabólicas, tais como infartos, hipertensão arterial, obesidade, intolerância à glicose e resistência insulínica.

1 EM CADA 3 INDIVÍDUOS TEM APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO.

Insônia

Quando alguém não consegue “pegar no sono” ou acorda várias vezes durante o sono, ou ainda acorda muito cedo pela manhã, pode estar sofrendo de insônia. Se esses sinais ocorrem três ou mais vezes na semana e persistem por três ou mais meses, podem impactar signifi cati vamente na saúde de modo geral.

COMO POSSO AVALIAR MEU SONO?

Anote seus horários de dormir e acordar, como se fosse um diário, de forma a construir o seu “Diário de Sono”. Não se esqueça de anotar todas as vezes que seu sono for interrompido, e também seus cochilos. Preencha seu diário por duas semanas. Isso o ajudará a ver como é o seu sono, o quanto você dorme e com que frequência.

Caso você ache que pode ter uma doença relacionada ao sono, procure um especialista. Ele provavelmente utilizará um dos dois (ou ambos) métodos abaixo para avaliar o seu sono.

Polissonografia

A polissonografia é o principal exame de avaliação e diagnóstico dos distúrbios de sono. Por meio de sensores posicionados na superfície do corpo, investiga-se uma série de comportamentos e atividades fisiológicas do organismo, não sendo um exame invasivo ao paciente. Por isso, a polissonografia pode ser realizada em qualquer faixa etária, até mesmo em recém-nascidos.

Actigrafia

É muito utilizada para a avaliação de distúrbios de ritmo como, por exemplo, trabalho em turno e jet lag. O actígrafo constitui um acelerômetro que possui um sensor infravermelho capaz de detectar o movimento. Por meio disso, é possível estimar diversos parâmetros de sono. Juntamente com o actígrafo, é imprescindível o preenchimento do diário de sono, no qual devem constar informações sobre horário de dormir, acordar, qualidade de sono, etc.

Fonte:
Cartilha do Sono – Associação Brasileira do Sono, 2017