Gastroenterologia

O que é o Hp?

O Helicobacter pylori (Hp) é uma bactéria muito comum no estômago das pessoas. Até hoje, ela não foi encontrada em qualquer outro ambiente ou animal, seja ele doméstico ou selvagem. Por tudo isso, somos sua principal fonte de transmissão e contaminação. Como o Hp vive em nosso estômago há milhares de anos, ele já está muito bem adaptado ao órgão, e já possui uma série de proteções para sobreviver a esse local, inclusive a grande quantidade de ácido gástrico.

A maioria das pessoas com Hp (em torno de 90%) vive bem com a bactéria, sem nenhuma alteração ou doença. Desse grupo, alguns podem sofrer de má digestão, que pode causar dores de estômago, sensação de estufamento após as refeições e náuseas. Os outros 10% podem sofrer com gastrite ou úlcera no estômago. Desse grupo, apenas 1% pode desenvolver doenças mais graves, como o câncer de estômago.

Como essa bactéria está presente em várias regiões do mundo e provoca várias doenças, é considerada, hoje, um importante problema de saúde.

Referências:

1- Mégraud F, Broutet N. Review article: have we found the source of Helicobacter pylori? Aliment Pharmacol Ther. 2000;14:7-12.

2- Czin SJ. Helicobacter pylori infection: detection, investigation and management. J Pediatr. 2005;146:S21-26.

Como o Hp é transmitido?

O Hp chega ao estômago pela boca, então a infecção pode acontecer pela água e por alimentos contaminados, além do contato com fezes de pessoa já infectada. Outro método de transmissão bem comum é pelo contato entre pessoas, principalmente entre mãe e filho e entre crianças, principalmente em países com saneamento básico ruim, como o Brasil e outros países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Além disso, em uma mesma região podem existir populações com mais ou menos infecções, dependendo das condições econômicas e de saneamento local.

Referências:

3- Coelho LG et al. 3rd Brazilian Consensus on Helicobacter pylori. Arq Gastroenterol. 2013;50(2).

4- Klein PD et al. Water source as a risk factor for Helicobacter pylori infection in Peruvian children. Lancet. 1991;337:1503-6.

5- Parsonnet J, Shmuely H, Haggerty T. Fecal and oral shedding of Helicobacter pylori from healthy infected adults. JAMA. 1999 Dec 15;282(23):2260-2.

Como é diagnosticado o Hp?

O diagnóstico do Hp é realizado de duas maneiras: a invasiva e a não invasiva.

Na invasiva, o diagnóstico é feito por endoscopia que retira fragmentos da parede do estômago. Esse método é importante não só para confirmar a presença da bactéria, mas também para avaliar o tipo e a intensidade da inflamação que ela pode provocar.

Os métodos não invasivos podem ser utilizados evitando a endoscopia. O teste respiratório identifica a presença ou ausência da bactéria. Já o teste sanguíneo é feito no soro do paciente para identificar anticorpos contra o Hp.

E o teste de antígenos fecais procura o Hp nas fezes da pessoa.

Referência:

6- Perez-Perez GI et al. Review article: diagnosis of Helicobacter pylori infection. Aliment Pharmacol Ther. 2002;16:16-23.

Como é feito o tratamento do Hp?

Para realizar o tratamento do Hp é preciso utilizar antibióticos e agir no ácido do estômago, principalmente com o uso de medicamentos conhecidos como inibidores da bomba de prótons (IBPs). Esse processo diminui a acidez dentro do estômago e facilita a ação dos antibióticos.

Os fatores que dificultam o tratamento do Hp são a resistência ao antibiótico e o tempo adequado ao tratamento, sendo mais aceitos os que duram sete, dez e 14 dias.

Para que o tratamento seja bem-sucedido, vários estudos recomendam associar dois ou três antibióticos. Com o uso correto do medicamento pelo tempo apontado pelo médico é possível ter sucesso em mais de 90% dos casos.

Referências:

7- Coelho LG et al. Latin-American Consensus on Helicobacter pylori infection (AIGE). Am J Gastroenterol. 2000;95(10):2688-91.

8- Samra Z et al. Resistance of Helicobacter pylori isolated in Israel to metronidazole, clarithromycin, tetracycline, amoxicillin and cefixime. J Antimicrob Chemother. 2002;49:1023-6.

9- Coelho LG et al. 3rd Brazilian Consensus on Helicobacter pylori. Arq Gastroenterol. 2013;50:81-96.

10- Eisig JN et al. Standar Triple Therapy versus Sequencial Therapy in Helicobacter pylori Eradication. A doble-blind, randomized-controlled trial. Gastroenterol Res Pract. 2015;818-43.

11- Papastergiou V et al. Treatment of Helicobacter pylori infection: Past, presente and future. World Gastrointest Pathophysiol. 2014;5(4):392-9.

12- Silva FM et al. Efficacy of levofloxacin, amoxacilin and a próton pump inhibitor in the eradication of Helicobacter pylori in Brazilian patiens with peptic ulcers. Clinics (São Paulo). 2015;70(5)318-21.