ENTENDENDO A ESCLEROSE MÚLTIPLA

ENTENDENDO A ESCLEROSE MÚLTIPLA 

Nos últimos anos, muitas descobertas foram realizadas na área da EM, como novos guias médicos para diagnóstico, exames laboratoriais e de imagem, que auxiliam no diagnóstico e no acompanhamento dos pacientes e novos tratamentos. Hoje em dia, sabe-se mais sobre a EM, mas ainda há muito a ser descoberto.

Da mesma forma, as pessoas têm mais acesso às informações através dos meios de comunicação, internet, redes sociais, associações de pacientes e da comunidade médica. E quanto mais pessoas, amigos e familiares souberem a respeito da EM, suas diferenças, seus desafios e vitórias, é melhor para o(a) paciente e para todos que convivem com ele(a).

Se você ou algum(a) conhecido(a) seu foi diagnosticado(a) com EM, provavelmente já foi informado(a) pelo médico(a) e/ou procurou por informações mais detalhadas. Assim, vamos começar a falar ou a relembrar de algumas informações básicas sobre essa doença.

E lembre-se: seu médico é a única pessoa que poderá lhe orientar sobre o seu caso e tratamento. Assim como qualquer outro problema de saúde, como por exemplo diabetes ou pressão alta.

A Esclerose Múltipla

A EM é uma doença crônica, progressiva e autoimune, na qual o sistema imunológico da pessoa ataca as próprias células nervosas, chamados de neurônios, que estão localizados no cérebro e na medula espinhal.

Na EM, o sistema imune ataca e destrói uma camada externa, que envolve os neurônios, a mielina, fazendo com que os neurônios não consigam transmitir de forma eficaz e rápida os estímulos nervosos de um neurônio para o outro. Assim, a EM causa um atraso na transmissão desses estímulos nervosos, levando a diversos sintomas que podem variar de tipo, de intensidade e de tempo de aparecimento entre os pacientes. 

A EM atinge tanto homens quanto mulheres, porém, as mulheres têm duas vezes mais chances de desenvolverem a doença que os homens. A EM pode acometer desde crianças até pessoas mais velhas. No entanto, grande parte dos pacientes tem de 20 a 40 anos de idade, ou seja, estão na fase mais produtiva da vida.

ACESSE AQUI OUTROS CONTEÚDOS
DE ESCLEROSE MÚLTIPLA