Osteoartrite

Osteoartrite

A osteoartrite ocorre quando a cartilagem que protege as articulações sofre deterioração e se desgasta gradualmente. Caracteriza-se pela presença de dor e rigidez articular. A dor tem início gradual e piora com o passar do tempo.1,2 A prevalência de osteoartrite é de 6% a 12% da população adulta.3 A incidência é semelhante em ambos os sexos, sendo que o número de articulações acometidas é, em geral, maior no sexo feminino, o que torna a forma generalizada mais comum em mulheres.2 O tratamento da osteoartrite envolve medicamentos e exercícios. Se essas medidas não proporcionarem alívio adequado da dor, indica-se o uso de viscossuplementos.4
Os viscossuplementos atuam como repositores do líquido sinovial. Esse líquido normalmente é encontrado nas articulações e se degrada nas pessoas que sofrem de osteoartrite.4

  • OPÇÕES DE VISCOSSUPLEMENTAÇÃO
    Existem dois tipos de viscossuplemento: os hialuronatos e o hilano G-F 20. O hilano G-F 20 é um líquido viscoelástico e estéril que restaura restaura as características positivas e protetoras do fluido articular dos joelhos (líquido sinovial) para ajudar a lubrificar e a amortecer a articulação lesada.2,5,6 As propriedades mecânicas ou viscoelásticas do hilano G-F 20 são semelhantes às do líquido sinovial jovem e saudável e residem mais tempo dentro da articulação do que as soluções simples de hialuronato de sódio convencionais, que tem características físicas semelhantes às do próprio líquido sinovial de uma articulação com artrose.5,6
  • O TRATAMENTO DA OSTEOARTRITE É FEITO DE FORMA MULTIMODAL
    A abordagem da osteoartrite deve ser multimodal. Os tratamentos fundamentais incluídos nesse tipo de abordagem são baseados na administração de anti-inflamatórios não esteroidais, analgésicos, inibidores da ciclo-oxigenase, viscossuplementos, esteroides injetáveis, além de cirurgia e mudanças no estilo de vida (dieta e exercícios).1,7
Manter um peso corporal adequado não é somente bom para a saúde, mas também para o manejo da osteoartrite. O índice de massa corporal (IMC) indica se a pessoa está na faixa de peso ideal, com sobrepeso ou com obesidade. Quando o indivíduo está com o IMC alto, há piora da gravidade da osteoartrite, principalmente dos joelhos, ou seja, ocorre aumento dos sintomas da osteoartrite, como a limitação da mobilidade.8 Para as pessoas que têm IMC alto, recomenda-se um plano para redução do peso baseado em dieta e exercícios físicos.7

DIETA
A dieta saudável exerce efeitos benéficos para o corpo. Já foi comprovado que a adoção de esquema dietético saudável combate doenças musculoesqueléticas, cardiovasculares, metabólicas e cognitivas. Por isso, se o indivíduo adota uma dieta saudável, pode haver diminuição dos sintomas de osteoartrite.9

O exercício é fundamental para manter a funcionalidade da articulação lesada pela osteoartrite. Os exercícios físicos podem desenvolver a força muscular e a capacidade aeróbica. Além desses dois tipos de exercício, é necessário o trabalho de flexibilidade ou de amplitude de movimento e do equilíbrio, aspectos físicos importantes para evitar quedas, além de melhorar a qualidade de vida e a autoestima.12,13 A reabilitação física é significativamente benéfica, em especial no controle da dor e no aumento da força muscular e da funcionalidade da articulação afetada. As atividades de reabilitação física devem ser realizadas pelo menos por 4 semanas. A realização dos exercícios físicos não deve ser interrompida, para que os benefícios não sejam perdidos nem haja piora de sintomas, como a dor.2,12,13

EXEMPLOS DE EXERCÍCIOS AERÓBICOS:

  • Bicicleta ergométrica.
  • Caminhada.
  • Natação.

EXEMPLO DE EXERCÍCIO DE FORÇA MUSCULAR:

  • Hidroginástica.14

A REABILITAÇÃO FÍSICA É CONSIDERADA ESSENCIAL NO TRATAMENTO MULTIMODAL DA OSTEOARTRITE.1

ALONGAMENTO DE QUADRIS E LOMBARES
Apoie as costas no chão, com as pernas unidas, e flexione os joelhos até o peito, mantendo-os junto ao corpo por alguns segundos.15

MÃOS E PUNHOS
Primeiro com a mão fechada e depois com ela aberta, faça movimentos para cima e para baixo. Também é possível fazer rotações em torno do punho, mantendo a mão semicerrada.15

JOELHOS
Sentado em uma mesa, com as costas eretas e as pernas penduradas, tente levantar o máximo possível um pé de cada vez, sem mover a coxa.15

CERVICAL
Olhando sempre para a frente, incline a cabeça suavemente para a direita e para a esquerda. Depois, com a cabeça para a direita, incline-a para a frente, encostando o queixo no peito, e volte a incliná-la para trás.15

TRATAMENTO DA OSTEOARTRITE
Uma parte considerável do tratamento da osteoartrite é dirigida para o controle dos sintomas, principalmente da dor. Ocasionalmente são prescritos medicamentos para reduzir a inflamação e a dor na articulação afetada. Por essa razão, é importante seguir as indicações médicas, a fim de que a doença não progrida rapidamente e para que seja possível realizar as atividades diárias normalmente.1,15 Mesmo se não houver mais sintomas, o tratamento não deve ser interrompido, a não ser se requisitado pelo médico.16

1. Langworthy MJ, et al. Conservative treatment modalities and outcomes for osteoarthritis: the concomitant pyramid of treatment. Phys Sportsmed. 2010;38(2):133–45. 2. Morales RE, et al. Reunión multidisciplinaria de expertos en diagnóstico y tratamiento de pacientes con osteoartritis. Actualización basada en evidencias. Med Int Mex. 2013;29(1):67–92. 3. Rosis RG, et al. Osteoartrite: avaliação clínica e epidemiológica de pacientes idosos em instituição de longa permanência. Rev Bras Clin Med. 2010;8(2):101–8. 4. Arthritis Foundation. Viscosuplementos; 2018 [acesso em 17 Jul 2018]. Disponível em: http://espanol.arthritis.org/espanol/tratamientos/guia-suplementos/viscosuplementos/. 5. Synvisc Hilano G-F 20 [bula]. São Paulo: Genzyme. 6. Synvisc-One Hilano G-F 20 [bula]. São Paulo: Genzyme. 7. Pilonieta CA. La viscosuplementación y sus efectos en la enfermedad articular. Ortho-tips. 2012;8(2):80–6. 8. Elbaz A, et al. Sex and body mass index correlate with Western Ontario and McMaster Universities Osteoarthritis Index and quality of life scores in knee osteoarthritis. Arch Phys Med Rehabil. 2011;92(10):1618– 23. 9. Veronese N, et al. Adherence to a Mediterranean diet is associated with lower prevalence of osteoarthritis: Data from the osteoarthritis initiative. Clin Nutr. 2017;36(6):1609–14. 10. Panagiotakos DB, et al. Dietary patterns: a Mediterranean diet score and its relation to clinical and biological markers of cardiovascular disease risk. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2006;16(8):559–68. 11. Villela NB, et al. (orgs.). Manual básico para atendimento ambulatorial em nutrição [online]. 2nd. ed. rev. and enl. Salvador: EDUFBA, 2008. Disponível em: http://books.scielo.org/id/sqj2s/pdf/villela-9788523208998-02.pdf. 12. Benito Peinado PJ, et al. Ejercicio físico como terapia no farmacológica en la artrosis de rodilla. Reumatol Clin. 2010;6(3):153– 60. 13. Instituto Mexicano del Seguro Social. Prevención, Diagnóstico y Tratamiento de Rehabilitación en el Paciente Adulto con Osteoartrosis de Rodilla en los Tres Niveles de Atención: Guía de Práctica Clínica. Cidade do México: Instituto Mexicano del Seguro Social; 2014. 14. Mattos F, et al. Effects of aquatic exercise on muscle strength and functional performance of individuals with osteoarthritis: a systematic review. Rev Bras Reumatol Engl Ed. 2016;56(6):530–42. 15. Liga Reumatològica Catalana. Ejercicios para el dolor de la artrosis; 2014 [acesso em 17 Jul 2018]. Disponível em: https://laartrosis.com/2014/07/04/ejerciciospara-el-dolor-de-la-artrosis/. 16. Park KK, et al. The Effects of Adherence to Non-Steroidal Anti-Inflammatory Drugs and Factors Influencing Drug Adherence in Patients with Knee Osteoarthritis. J Korean Med Sci. 2016;31(5):795–800.

ACESSE O SITE E ENTENDA MAIS: WWW.SYNVISC.COM.BR